1. Home
  2. /
  3. Mercado Cervejeiro
  4. /
  5. Você aprendeu errado! Conheça 5 mitos da história da IPA
Você aprendeu errado! Conheça 5 mitos da história da IPA
Em 31/01/2022 às 10h31.

Você aprendeu errado! Conheça 5 mitos da história da IPA

Pesquisas recentes mostram que há várias inconsistências no que podemos chamar de “a lenda da IPA”; saiba mais.

Luis Celso Jr.
Por Luis Celso Jr., cervejar.com
Jornalista e Sommelier de cerveja

A cerveja IPA detém o recorde de história mais contada em mesas de bar pelo mundo! Todos adoram falar como nasceu o estilo India Pale Ale. Mas, como já dizia a ditado, “quem conta um conto, aumenta um ponto”. E nem tudo dessa versão mais conhecida é completamente correto.

Pesquisas recentes do jornalista britânico Martyn Cornell, também escritor na área de cervejas, mostram que há várias inconsistências históricas no que podemos chamar de “a lenda da IPA”.

Essa narrativa construída ao longo do tempo diz que a India Pale Ale teria sido inventada em 1760, por George Hogdson, um cervejeiro londrino proprietário da cervejaria Bow, para superar um problema: a Pale Ale estragava durante a viagem para a Índia.

Não é para menos. À época, o tempo de navio da Inglaterra até a antiga colônia britânica era de cerca de três meses. O cervejeiro, então, teria feito uma versão mais alcoólica e colocado mais lúpulo na bebida. Isso porque, o lúpulo é um poderoso conservante natural. Dessa forma, a cerveja finalmente teria chego ao destino em condições de consumo.

Essa história, porém, é cheia de inconsistências. Abaixo, listo os cinco principais mitos da IPA.

Mito 1 – A cerveja estragava na viagem

Esse é o problema central da lenda da IPA. Mas, isso não é verdade. Documentos provam que, desde 1711, tanto Porters, quanto Pale Ales, já eram exportadas com sucesso para a Índia.

Mito 2 – A IPA foi a primeira cerveja a levar mais lúpulo para viajar

Na verdade, os cervejeiros ingleses já sabiam, desde os anos 1700, que qualquer cerveja que precisasse percorrer longas distâncias, teria que ter mais lúpulo. Ou seja, não foi algo inventado para a IPA.

Mito 3 – Ela sempre se chamou India Pale Ale

Uma das grandes dificuldades em conseguir rastrear a história da IPA é justamente o nome. Ela nem sempre foi chamada de India Pale Ale. No começo era simplesmente uma Pale Ale feita para o mercado da Índia. Ou seja, não tinha um nome próprio e por isso não havia como diferenciá-la das demais Pale Ales da época.

Foi apenas em 1829 que o nome East India Pale Ale é mencionado a primeira vez em texto escrito, num jornal de Sidney, na Austália. Em terras inglesas, esse nome só aparece em 1835 no jornal Liverpool Mercury.

Mito 4 – George Hogdson inventou a IPA

A verdade é que ninguém inventou a IPA. Ela foi resultado de uma série de pequenas evoluções ao longo do tempo. Hogdson, proprietário da Bow Brewing, que ficava perto do porto de Londres, foi um grande comerciante que forneceu, por anos, cervejas para a companhia, que levava materiais e suprimentos ao país asiático.

Mito 5 – O amargor mais alto da IPA vem só do lúpulo

Após o encerramento da parceria com Hogdson, a companhia que cuidava da exportação procurou cervejarias de Burton-upon-Trent para fazer a Pale Ale, que ia para a Índia. O final seco, que traz uma sensação de amargor mais exacerbado na cerveja, foi atingido só neste ponto, e é resultado do perfil mineral da água da nova região produtora.

Mercado Cervejeiro
22/09/2022 às 10h58.

Oktoberfest: Conheça as 5 maiores do mundo

Você sabia que a festa de Munique não é a maior do mundo? Saiba quais são as cinco maiores Oktoberfests e suas curiosidades.

Compartilhe
Mercado Cervejeiro
19/09/2022 às 15h14.

De 2013 até os dias atuais. A expansão do Mondial no Brasil

Gabriel Pulcino, gerente de negócios do Mondial de la Bière conta um pouco sobre as histórias por trás de um dos maiores festivais de cervejas do mundo.

Compartilhe