1. Home
  2. /
  3. Degustação
  4. /
  5. Quantos graus: qual a temperatura correta da cerveja?
Quantos graus: qual a temperatura correta da cerveja?
Em 13/09/2021 às 13h42.

Quantos graus: qual a temperatura correta da cerveja?

Os aromas da cerveja são compostos químicos voláteis naturais da bebida. Eles só se desprendem a partir de certas temperaturas.

Luis Celso Jr.
Por Luis Celso Jr., cervejar.com
Jornalista e Sommelier de cerveja

Há um mito comum no universo cervejeiro de que em países como a Alemanha e Inglaterra a cerveja se bebe quente. Não é bem assim. Esses países são em geral mais frios. Considere também que nos pubs, por exemplo, o ambiente é ainda mais fresco. E no subsolo, onde normalmente ficam os barris, é perto de uma temperatura de adega. Mas, sim, esses povos gostam da sua cerveja menos gelada do que nós, brasileiros, que preferimos “trincando”. É um fator cultural importante.

Mas há também uma questão técnica aí. Os aromas dos alimentos e da cerveja são compostos químicos voláteis naturais da bebida. Eles só se desprendem, só evaporam, e chegam ao nosso nariz a partir de certas temperaturas. Ou seja, gelar demais a bebida faz com que a gente não sinta os aromas e grande parte do sabor.

Um pecado quando se trata de uma cerveja artesanal. Você provavelmente pagou mais caro por ela para ter mais aroma e sabor. E, gelando demais, está jogando isso fora!

Mas, então, qual a temperatura ideal?

Não existe apenas uma temperatura única. Cada estilo de cerveja traz características sensoriais próprias que se mostram melhor em diferentes faixas de temperatura, num espectro total que vai de 3ºC a 13ºC (veja imagem). Nessa escala, as temperaturas mais baixas normalmente são utilizadas para cervejas Lager claras, menos aromáticas. E as mais altas para cervejas Ales mais aromáticas.


Reprodução: Tasting Beer – Randy Mosher

Um jeitinho fácil de lembrar dessa escala é pela cor. Cervejas mais claras são degustadas em temperaturas mais frias. E à medida que vão escurecendo, a temperatura de serviço aumenta. Não é uma dica perfeita, mas ajuda a memorizar. Outro macete é sempre ler o rótulo. A grande maioria dos fabricantes estampa a temperatura recomendada para aquela cerveja ali mesmo.

Outra consideração é que essas temperaturas se referem ao líquido dentro do copo. Ou seja, não é o número que aparece na geladeira – normalmente relacionado a temperatura do ar lá dentro. Também é bom servir a garrafa numa temperatura cerca de 2ºC menor do que o recomendado, já que ele vai esquentar em contato com o ar e o próprio vidro do copo.

Profissionais da cerveja, como mestre cervejeiros e sommeliers, sabem que a temperatura influencia bastante em ocasiões como degustações profissionais e concursos. Não só no aroma e sabor, mas até na espuma. Aí o assunto fica sério! Nesses casos, a tabela é levada de maneira mais precisa e, dependendo do caso, vale até usar o termômetro.

No entanto, na hora do lazer, o mais importante mesmo é relaxar e aproveitar a cerveja. Fatores culturais e o gosto pessoal contam muito e devem ser levados em conta. Lembre-se que a cerveja é sua. E ninguém manda nela a não ser você. O que foi explicado aqui é apenas uma recomendação para aproveitar melhor o produto.

Portanto, se a lata ou garrafa está morna demais, coloque um tempinho a mais no freezer antes de abrir. Se está gelada demais, aqueça o copo com a palma das mãos. E lembre-se que no fim, é melhor errar para menos do que para mais, já que depois de servida ela vai esquentando aos poucos naturalmente.

Agora que você já sabe: cada cerveja na sua temperatura! Mas sem exageros.

Fontes: Livros A Mesa do Mestre Cervejeiro, Larousse da Cerveja e Tasting Beer

Mercado Cervejeiro
26/01/2022 às 14h41.

Embalagem bonita é diferencial e ajuda nas vendas

Latas ou garrafas bonitas de cerveja podem atrair consumidores e impulsionar as vendas.

Compartilhe
Mercado Cervejeiro
25/01/2022 às 10h00.

Terra da garoa, São Paulo é também a terra da cerveja

A cidade São Paulo, que comemora 468 anos em 2022, caminha para ter o maior número de cervejarias do Brasil.

Compartilhe