1. Home
  2. /
  3. Degustação
  4. /
  5. Quando a cerveja conversa com o uísque
Quando a cerveja conversa com o uísque
Em 02/02/2022 às 10h19.

Quando a cerveja conversa com o uísque

Os mundos da cerveja e do uísque podem se unir através dos barris de madeira; entenda.

Felipe Freitas
Por Felipe Freitas, cervejar.com
Engenheiro Químico e Sommelier de Cerveja

Existe um caminho para aproximar a cerveja do uísque, o que produz uma surpreendente gama de sabores e pode conquistar apaixonados pelas duas bebidas. Trata-se da utilização de barris de madeira, que já envelheceram uísque, para envelhecer também cerveja.

Uísque e cerveja, na verdade, são quase irmãos. Ambos se originam da mesma fonte, a fermentação do grão de malte. A principal diferença entre as duas bebidas ocorre logo após a fermentação.

A cerveja é maturada a frio e, então, envasada para consumo. Já o uísque passa por uma etapa de destilação, e depois é confinado em barris de madeira, por anos, antes de ir para a garrafa.

Assim como a cerveja, o uísque é uma categoria de bebidas que compreende uma variedade de subcategorias, como Bourbon, Escocês e Single Malt, que podem diferir a partir da técnica de produção, tipo de cereal, país de origem, entre outras características.

Barris de madeira e uísque

A utilização de barris de madeira para o armazenamento de uísque se dava, pelo simples fato, de ser a única forma de guardar a bebida, à época. Isso porque, não existiam outros materiais com a mesma capacidade para realizar esta tarefa.

Foi com o passar do tempo que as pessoas entenderam que parte dos sabores que apreciavam no uísque, na verdade, tinha origem nas características da madeira utilizada para guardar o destilado.

Barris de madeira e cerveja

O desejo de experimentação dos cervejeiros artesanais levou esses aventureiros a buscar barris de madeira para maturar cerveja. Muitos deles passaram a utilizar barris que já tinham guardado uísque, gerando produtos considerados icônicos para o segmento.

Essa troca entre barris produz sabores que não poderiam ser alcançados de outra forma. É a mágica da transferência de sabores, característicos tanto da madeira, quanto do uísque, além de processos oxidativos, que ampliam a complexidade da cerveja.

É como se a cerveja penetrasse na madeira e encontrasse vestígios do uísque que, por sua vez, já havia extraído muitos compostos da madeira originalmente, produzindo uma bebida rica e diferenciada.

Aumento do dulçor, notas de baunilha e sabores que lembram frutas, estão entre as possibilidades de entrega que uma cerveja envelhecida em barris de uísque pode obter, o que faz desta combinação uma experiência maravilhosa.

Mercado Cervejeiro
30/01/2023 às 11h30.

Michael Jackson da cerveja: Conheça o escritor que inspirou gerações de cervejeiros

Você sabia que o universo cervejeiro tem o seu Michael Jackson? Conheça a história do Beer Hunter, o jornalista que viajou o mundo em busca de uma cerveja excepcional.

Compartilhe
Mercado Cervejeiro
26/01/2023 às 11h30.

Pertinho de São Paulo: 5 lugares para beber cerveja artesanal em Campinas

A pouco mais de 80 quilômetros de São Paulo, Campinas é recheada de opções para curtir uma boa cerveja artesanal; conheça cinco lugares para beber na cidade.

Compartilhe