1. Home
  2. /
  3. Degustação
  4. /
  5. IPAs americanas e IPAs inglesas: qual a diferença?
IPAs americanas e IPAs inglesas: qual a diferença?
Em 29/10/2021 às 10h00.

IPAs americanas e IPAs inglesas: qual a diferença?

A evolução deste estilo de cerveja levou a Inglaterra e os Estados Unidos a se tornarem os países mais importantes para a criação e renascimento da IPA.

Felipe Freitas
Por Felipe Freitas, cervejar.com
Engenheiro Químico e Sommelier de Cerveja

A IPA é um estilo de cerveja que gerou um grande número de ramificações, que se espalham por diferentes rótulos de cervejarias artesanais.

É interessante perceber a trajetória de evolução deste estilo de cerveja ao longo dos séculos, que levou a Inglaterra e os Estados Unidos a se tornarem os países mais importantes para a criação e renascimento da IPA.

Uma breve história

Antes de virar uma febre entre os bebedores de cerveja artesanal, a história de desenvolvimento das IPAs teve origem na Inglaterra, que desejava exportar cerveja para as tropas britânicas na Índia, sem que a bebida estragasse com o passar do tempo.

O uso de lúpulo não foi adotado pelos britânicos para fabricação de cerveja, até o final do século XVIII. Seu papel era dar sabor e preservar a bebida. Na época, havia um estilo chamado “Cerveja de Outubro”, fabricado por George Hodgson, em sua cervejaria Bow, localizada em Londres.

Esta cerveja tinha um teor alcoólico mais alto e era generosamente lupulada. Conhecido por durar meses, o estilo era um dos favoritos para exportação, pois podia sobreviver a longas viagens em águas turbulentas.

Para atender uma série de interesses, este estilo passou a dominar as exportações de cerveja britânica – inclusive para a Índia. Mais tarde, ultrapassou a popularidade da Porter, na Grã-Bretanha, que era, até então, o tipo de cerveja mais popular. Em meados de 1800, a pale ale extra lupulada tornou-se conhecida como India Pale Ale, o que gerou a sigla IPA.

As IPAs inglesas

As IPAs inglesas têm uma cor dourada/âmbar profunda e são conhecidas por apresentarem sabor bastante equilibrado.

Geralmente, elas têm um forte caráter maltado, com sabores dominantes de biscoito e caramelo, que são derivados dos tradicionais maltes ingleses usados em sua fabricação. As IPAs inglesas são fermentadas pela levedura ale inglesa, que produz ésteres frutados bem característicos.

Os lúpulos britânicos usados em IPAs, da tradição inglesa, contribuem com sabores que remetem a ervas e possuem um caráter mais terroso, que ajudam a equilibrar a doçura do malte. São lúpulos com baixo teor de ácidos alfa, substância responsável pelo amargor, mas com perfil bem aromático.

As IPAS americanas

Na realidade, a maior parte das IPAs consumidas, atualmente, são inspiradas em IPAs americanas, que passaram a dominar a preferência do público. Isso graças à ascensão das cervejarias artesanais, que se multiplicaram nos Estados Unidos e influenciaram o mundo todo.

Até o renascimento nos EUA, principalmente nos anos 1990, as IPAs, que foram criadas na Inglaterra, haviam se tornado um estilo de cerveja quase esquecido, que gerava pouca repercussão.

Já as chamadas American IPAs são bastante diversificadas e podem ser divididas em um grande número de subestilos. Em geral, elas são cervejas lupuladas de forma mais agressiva do que as IPAs inglesas e com lúpulos com maior potencial de amargor.

Os lúpulos desenvolvidos nos Estados Unidos são, de fato, o maior diferencial para as American IPAs. Essas variedades de lúpulo podem apresentar sabor e aroma de frutas tropicais, como manga e maracujá, além de pinho, o que resulta em um pouco mais de amargor.

Normalmente, elas são cervejas muito perfumadas e saborosas, e proporcionam uma experiência de bebida que elevou o estilo ao status de um dos mais amados dos EUA. E, quiçá, do mundo todo.

Na dúvida, fique com as duas

Uma das coisas mais incríveis em explorar o universo das cervejas artesanais é aprender sobre as nuances de seus ingredientes, enquanto se degusta esta bebida.

A enorme variedade de IPAs, sejam elas inspiradas na escola americana ou inglesa, oferece a chance de se perceber o potencial dos diferentes tipos de lúpulo, e sua capacidade de gerar uma gama de tipos de sabor e aroma na bebida.

Por isso, a experiência de beber diferentes tipos de IPAs, uma ao lado da outra, é sempre uma viagem que permite aprender sobre as peculiaridades deste estilo de cerveja, que se tornou tão popular entre os amantes das artesanais.

Mercado Cervejeiro
23/06/2022 às 10h57.

Com nova lei, Rio de Janeiro pode ganhar mais cervejarias

Após receber aprovação final e entrar em vigor, lei pode ser o “empurrão” que faltava para pessoas que desejam abrir sua cervejaria artesanal, mas encontravam barreiras para isso.

Compartilhe
Mercado Cervejeiro
16/06/2022 às 10h00.

Dia do Orgulho LGBTQIA+: 3 iniciativas que apoiam a causa

O dia 28 de junho marca a luta pela diversidade e igualdade de direitos. A cerveja não está alheia ao tema e já existem, inclusive, iniciativas e empreendimentos na área.

Compartilhe