1. Home
  2. /
  3. Mercado Cervejeiro
  4. /
  5. Híbridos de cerveja e vinho crescem no Brasil
Híbridos de cerveja e vinho crescem no Brasil
Em 21/04/2022 às 10h00.

Híbridos de cerveja e vinho crescem no Brasil

Conheça uma nova marca brasileira que está investindo na produção de bebidas que combinam cerveja e vinho.

Felipe Freitas
Por Felipe Freitas, cervejar.com
Engenheiro Químico e Sommelier de Cerveja

Diferente do que muita gente pensa, é possível, sim, combinar cerveja com vinho. Nesse caso, as cervejas são produzidas a partir do extrato da uva, o que dá margem à criação de bebidas experimentais pelo mundo inteiro. Muitas vezes, elas são chamadas de “oenobeers”, um híbrido de cerveja e vinho.

Para produzir a bebida, alguns fabricantes utilizam as uvas diretamente, outros apenas o suco, e há ainda os que envelhecem as cervejas em barris de vinho. Essas diferenças de abordagem criam uma grande gama de possibilidades e riqueza de sabores, o que, aliás, os cervejeiros artesanais adoram.

Este universo já foi explorado, pontualmente, pelas cervejarias paulistas Dádiva e Trilha. Agora, uma nova marca do sul do país, a Cosabella, nasce dedicada exclusivamente à produção de bebidas que combinam cerveja e vinho.

A empreitada é comandada pelos sócios da cervejaria catarinense Cozalinda, Carlos Pavanelli e Diego Simão Rzatki, e também pelo enólogo Lázaro Araujo, fundador da vinícola Dom Dionysios e da Cervejaria Donner Ivan Tisatto.

“Desde 2017, a Cozalinda ensaiava a produção de uma linha de bebidas com uvas. Em 2019, lançamos, com a Doner, a Sympotein Merlot, uma Wild Italian Grape Ale com uva Merlot”, destaca  Rzatki. “No ano seguinte, fizemos uma segunda safra e, então, decidimos unir forças e lançar uma marca focada em produções com uva”, acrescenta.

As produções serão realizadas em Caxias do Sul (RS) e Florianópolis (SC), locais em que os sócios já possuem estrutura para acomodar os produtos durante as delicadas fases de fermentação. A experimentação com ingredientes nacionais será um dos objetivos da marca.

“Assim como as cervejas receberão uva para sua fermentação, também faremos vinhos com lúpulos brasileiros. A ideia é trabalhar ao máximo com ingredientes próximos e aproveitar do ‘terroir’ que está ao nosso redor. É o que estamos chamando de Terroir Brasiliano”, explica Rzatki.

A Brett Italian Grape Ale é um dos primeiros exemplares da Cosabella. Feita com Trebiano & Chardonnay, com 8,6% de teor alcoólico, fermentada com Brettanomyces de Santa Catarina, trazendo um perfil refrescante das uvas brancas, com certa picância, leve acidez e complexidade.

A tendência é que marcas que investem nos híbridos de cerveja e vinho cresçam e façam, assim, que os fãs das duas bebidas encontrarem cada vez mais opções para provar e descobrir novas experiências.

Mercado Cervejeiro
22/09/2022 às 10h58.

Oktoberfest: Conheça as 5 maiores do mundo

Você sabia que a festa de Munique não é a maior do mundo? Saiba quais são as cinco maiores Oktoberfests e suas curiosidades.

Compartilhe
Mercado Cervejeiro
19/09/2022 às 15h14.

De 2013 até os dias atuais. A expansão do Mondial no Brasil

Gabriel Pulcino, gerente de negócios do Mondial de la Bière conta um pouco sobre as histórias por trás de um dos maiores festivais de cervejas do mundo.

Compartilhe