1. Home
  2. /
  3. Degustação
  4. /
  5. Deguste o lúpulo: 5 cervejas para entender os aromas e sabores dessa matéria-prima
Deguste o lúpulo: 5 cervejas para entender os aromas e sabores dessa matéria-prima
Em 09/12/2022 às 11h30.

Deguste o lúpulo: 5 cervejas para entender os aromas e sabores dessa matéria-prima

Principal tempero da cerveja, o aroma e sabor do lúpulo mudam de acordo com a variedade e local de plantio; confira cinco rótulos para conhecer melhor essa matéria-prima.

Luis Celso Jr.
Por Luis Celso Jr., cervejar.com
Jornalista e Sommelier de cerveja

O lúpulo é hoje o principal tempero da cerveja. Mas nem sempre foi assim. Até a Idade Média, nossa querida bebida era condimentada com diversas ervas, especiarias, frutas e até mel. Essa plantinha só entra na receita por volta do ano 1.000 d.C. Sua principal função era agir como um conservante natural.

O Humulus lupulus é uma trepadeira típica de regiões frias e que pode crescer de cinco a nove metros de altura. Ela necessita de muita irrigação e muitas horas de luz solar para se desenvolver. Para a cerveja, são utilizadas apenas as flores das plantas femininas, que têm formato de cone.

Dentro dela há um pó amarelo chamado lupulina, que é rico em óleos essenciais e substâncias amargas que vão trazer aroma, sabor e amargor à bebida. As propriedades biostáticas do lúpulo vêm justamente dessas substâncias amargas. Elas inibem o crescimento de microrganismos, aumentando a durabilidade da cerveja.

É curioso notar também que, de acordo com a variedade e local de plantio, o aroma e sabor do lúpulo mudam. Dessa forma, podemos dizer que lúpulos europeus continentais são mais florais, assim como os britânicos são mais herbáceos e terrosos. Já os americanos, são caracterizados como frutados, cítricos e resinosos, principalmente.

Então, que tal degustar algumas cervejas para entender melhor a contribuição dos lúpulos? Selecionamos cinco rótulos que ilustram bem essas possibilidades.

1 – Frohenfeld Pils – German Pils

Os lúpulos alemães são, em geral, florais. Lembram gerânio, flores do campo, jasmim ou copo-de-leite. Esse aroma está presente na maioria das cervejas da escola alemã, ganhando destaque especialmente nas mais lupuladas, como a German Pils. O exemplar da Frohenfeld, de Curitiba (PR), é uma clássica interpretação do estilo, com muito frescor, leveza e amargor assertivo.

2 – Fuller’s ESB – Extra Special Bitter

A Fuller’s ESB foi criada em 1971 e lançou as bases do estilo Extra Special Bitter, também conhecido como Strong Bitter. Como uma boa e típica cerveja inglesa, deve usar lúpulos ingleses. No caso dela, de aromas herbais, trazendo um aspecto fresco, quase como hortelã, sobre uma base de maltes que lembra caramelo, tostado, amendoado e toffee.

3 – Old Speckled Hen – English Pale Ale

Outra variedade sensorial dos lúpulos ingleses é o terroso, que remete a chá-mate, terra molhada ou folhas secas. É bastante impactante quando usado em maiores quantidades, como o que acontece na cerveja Old Speckled Hen, da inglesa Cervejaria Morland – hoje pertencente ao grupo Green e King. Trata-se de uma English Pale Ale de final seco, bastante lupulada e frutada da fermentação, que lembra uvas-passas, além do típico toque dos maltes tostados, caramelo, toffee e amendoado.

4 – Brewdog Punk IPA – American IPA

Os lúpulos americanos são os mais comuns hoje no Brasil e trazem aspectos mais frutados, cítricos e resinosos. Em especial, o cítrico é uma marca bastante distinta, aparecendo em muitas cervejas American IPA. A Brewdog Punk IPA pertente a esse estilo, apesar de a marca ser escocesa. As principais notas são de maracujá e toranja.

5 – Dogma Chinook Lover – Double IPA

A característica resinosa dos lúpulos americanos é frequentemente descrita como pinho. Tem um aspecto que mistura uma nota amadeirada com um tom herbáceo fresco e concentrado. Pode ser encontrado em algumas variedades de origem norte-americana, como o Chinook. E foi usando apenas esse lúpulo que a Dogma (São Paulo – SP) fez a Chinook Lover, uma Double IPA Single Hop. Por isso, nela é possível sentir claramente como esse aroma é bastante singular.

 

Mercado Cervejeiro
30/01/2023 às 11h30.

Michael Jackson da cerveja: Conheça o escritor que inspirou gerações de cervejeiros

Você sabia que o universo cervejeiro tem o seu Michael Jackson? Conheça a história do Beer Hunter, o jornalista que viajou o mundo em busca de uma cerveja excepcional.

Compartilhe
Mercado Cervejeiro
26/01/2023 às 11h30.

Pertinho de São Paulo: 5 lugares para beber cerveja artesanal em Campinas

A pouco mais de 80 quilômetros de São Paulo, Campinas é recheada de opções para curtir uma boa cerveja artesanal; conheça cinco lugares para beber na cidade.

Compartilhe