1. Home
  2. /
  3. Degustação
  4. /
  5. Cold IPA: o que é e o que provar para entender esse novo estilo
Cold IPA: o que é e o que provar para entender esse novo estilo
Em 19/08/2022 às 12h14.

Cold IPA: o que é e o que provar para entender esse novo estilo

A Cold IPA é uma das tendências do universo das India Pale Ales; confira duas cervejas brasileiras para você entender esse novo estilo na prática.

Luis Celso Jr.
Por Luis Celso Jr., cervejar.com
Jornalista e Sommelier de cerveja

O universo das India Pale Ales (IPAs) é enorme e muito diversificado. Além de ocupar grande parte do mercado de cervejas artesanais, há vários estilos diferentes desse tipo de cerveja. Cada um com características próprias.

Em geral, são cervejas de alto amargor com destacado aroma e sabor dos lúpulos. As originais, do estilo English IPA, utilizam variedades inglesas dessa matéria-prima, que tem aromas mais terrosos ou herbáceos. Já o estilo American IPA preconiza o uso de lúpulos norte-americanos, mais frutados, cítricos e resinosos, como o que bebemos no Brasil.

Hoje, já existem vários subestilos de IPAs, e vez ou outra, aparecem mais. Uma das últimas tendências é a Cold IPA. Como tudo que é novo, ainda há algumas discussões sobre suas características. Mas, em geral, estamos falando de uma IPA fermentada em temperaturas mais baixas, com cepas de leveduras mais neutras.

Esse tipo de recurso técnico faz com que a cerveja perca alguns componentes mais frutados e adocicados da fermentação. Com isso, valoriza-se ainda mais o amargor e os aromas do lúpulo da bebida.

Origem

Essa ideia teria sido iniciada em 2017, em Portland, nos EUA, pelas mãos do cervejeiro Kevin Davey, da cervejaria Wayfinder. Ele queria retomar o perfil mais seco e amargo das IPAs da Costa Oeste para ter uma alternativa em um mercado dominado pelas New Englad IPAs – versões menos amargas, bastante turvas e frutadas.

A Cold IPA também é diferente de uma India Pale Lager (IPL), estilo que usa levedura de baixa fermentação. No entanto, o efeito final é parecido: uma cerveja refrescante, sem nenhum componente interferindo no amargor e aroma dos lúpulos.

A seguir, separamos três Cold IPAs brasileiras para você provar e entender o estilo na prática.

Dogma Quantum II

A Cervejaria Dogma, de São Paulo, está sempre de olho nas tendências de cervejas lupuladas. A Quantum II é a segunda Cold IPA da marca. A primeira, Quantum, levava cinco variedades diferentes de lúpulos norte-americanos. Na atual, são três: Azacca, Meridian e Bravo, que lembram  frutas cítricas maduras, como o maracujá, e tropicais, como a manga. A fermentação é bem neutra, sem causar interferência nos aromas e sabores dos lúpulos, com base de malte leve, quase imperceptível. Possui teor alcoólico de 5,9%.

OCA Cold IPA

A versão da também paulistana OCA Cervejaria é um pouco mais intensa, com 7% ABV e corpo mais alto. Mas, igualmente, de final seco e refrescante. É produzida com os lúpulos Columbus para amargor, e Meridian, Centennial e El Dorado para aroma, trazendo bom equilíbrio entre as notas resinosas e cítricas.

Ela ainda está disponível no mercado e fez tanto sucesso que teve uma edição especial feita com variedades de lúpulos plantadas no Brasil (já esgotada). A OCA Cold IPA era uma cerveja com aroma e sabor dank (uma nota herbácea úmida), muita laranja, além de amargor marcante e limpo.

Mercado Cervejeiro
22/09/2022 às 10h58.

Oktoberfest: Conheça as 5 maiores do mundo

Você sabia que a festa de Munique não é a maior do mundo? Saiba quais são as cinco maiores Oktoberfests e suas curiosidades.

Compartilhe
Mercado Cervejeiro
19/09/2022 às 15h14.

De 2013 até os dias atuais. A expansão do Mondial no Brasil

Gabriel Pulcino, gerente de negócios do Mondial de la Bière conta um pouco sobre as histórias por trás de um dos maiores festivais de cervejas do mundo.

Compartilhe