1. Home
  2. /
  3. Degustação
  4. /
  5. Cervejas de trigo: alemãs x belgas
Cervejas de trigo: alemãs x belgas
Em 05/11/2021 às 10h00.

Cervejas de trigo: alemãs x belgas

Weiss ou Witbier? Semelhanças, diferenças e particularidades entre as escolas.

Felipe Freitas
Por Felipe Freitas, cervejar.com
Engenheiro Químico e Sommelier de Cerveja

As cervejas de trigo se tornaram uma grande porta de entrada para pessoas iniciantes, que se aventuram em experimentar diferentes estilos de cerveja. Isso ocorre, provavelmente, porque os estilos mais populares de cervejas de trigo entregam uma experiência de sabor diferente do comum, sem “assustar” quem está dando os primeiros passos, com sabores e aromas considerados muito extravagantes.

Quando se fala em cervejas de trigo, dois estilos se sobressaem, como sendo os de maior popularidade: o weiss (ou weizen), estilo de cerveja originário da Alemanha, e o witt, cerveja de trigo que nasceu na Bélgica.

Ambos estilos possuem características em comum, como leve acidez, boa formação de espuma e visual turvo, que está ligado à presença das proteínas do trigo. Mas, existem outros pontos em que  as cervejas de trigo da escola alemã e da escola belga mostram suas particularidades.

Weiss, a cerveja de trigo alemã

O tipo de fermento desempenha um papel importante quando se trata das diferenças entre essas cervejas de trigo. As duas cervejas são de alta fermentação, mas a weiss é produzida com levedura weizen especial. Essa levedura produz os sabores característicos de cravo e banana, presentes neste estilo.

Uma cerveja weizen é feita de acordo com a Reinheitsgebot. a lei de pureza alemã, que proíbe que a bebida seja produzida com, outra qualquer coisa, além de água, cevada e lúpulo. Ou seja, sem adição de ervas, especiarias ou frutas. Todos os sabores e o caráter suave, doce e levemente frutado, vêm apenas do fermento.

O estilo weiss chegou ao ápice no século XVIII, quando era monopólio da Cervejaria Real da Baviera. A popularidade da cerveja de trigo, no entanto, diminuiu no início do século XIX, quando os direitos pela bebida foram devolvidos aos plebeus.

Nas últimas décadas, a weizen tornou-se, novamente, uma cerveja que passou a atrair atenção, sendo produzida ao redor do mundo, e também exportada da Alemanha.

Outro destaque importante da cerveja weiss é o tradicional copo em que ela é servida. A taça é alta e curvilínea, e costuma chamar atenção em bares e restaurantes. Nela, é possível servir uma garrafa de 500 ml de uma só vez, com valorização da espuma no topo.

Witbier, a cerveja de trigo belga

As witbiers são tipicamente fermentadas com adição de semente de coentro e frutas cítricas, ou outras especiarias, que atuam como sabores complementares às notas de trigo brilhante. O resultado é uma cerveja turva, aromática, com destaque para notas cítricas e com leve picância. Uma bebida muito refrescante e perfeita para os meses mais quentes do ano.

A origem da witbier, que significa “cerveja branca”, no idioma local, ocorreu por volta do século XIV, apesar de ter se tornado mais conhecida no início do século XIX. Porém, nos anos 1950, tinha praticamente desaparecido, por conta das guerras, da ascensão das cervejas de massa e das grandes cervejarias.

Em 1966, um homem chamado Pierre Celis reviveu este estilo, criando a marca Hoegaarden que, mais tarde, seria comprada pelo grupo Interbrew. Hoje, ele pertence à AB InBev, maior grupo cervejeiro do mundo.

Devido aos seus esforços, junto com os encantos inatos do estilo, witbier rugiu de volta e encontrou seguidores entusiastas, não apenas em sua terra natal, mas também ao redor do mundo.

A cervejaria norte-americana Coors ampliou o público com a marca Blue Moon, em grande parte, devido aos esforços incansáveis de Keith Villa, um de seus cervejeiros, que defendeu, incansavelmente, a cerveja e a ajudou a ter sucesso no mercado.

Perceba as semelhanças e diferenças. Experimente!

Os estilos weiss e wit apresentam semelhanças e diferenças perceptíveis. Como já mencionado, uma das semelhanças é que, ambas as cervejas, são opacas a turvas. Quando se trata de cor, no entanto, uma witbier é, geralmente, um pouco mais clara do que uma weizen. As duas têm bons “colarinhos”, mas a espuma da weizen tem mais de volume e é mais cremosa.

A witbier tem aromas mais frescos, ácidos e frutados, de frutas cítricas, com uma ligeira doçura. Já a weizen contém os aromas condimentados e doces do fermento, como cravo, noz-moscada, banana e baunilha.

As cervejas wit apresentam dulçor com notas de acidez, tons cítricos e sabores de coentro e outras especiarias. Por outro lado, as weizen apresentam um dulçor ainda maior, mais maltadas e levemente ácidas, contendo tons de banana e frutas amarelas, além de cravo.

Essas cervejas são sentidas na boca de forma muito semelhante, ambas com corpo fino a médio. Existem, ainda, diferenças maiores no gosto final. Uma witbier tem um retrogosto mais herbal, levemente ácido e mais seco do que uma weizen, que possui retrogosto com mais picância e com dulçor mais pronunciado.

Mercado Cervejeiro
26/01/2022 às 14h41.

Embalagem bonita é diferencial e ajuda nas vendas

Latas ou garrafas bonitas de cerveja podem atrair consumidores e impulsionar as vendas.

Compartilhe
Mercado Cervejeiro
25/01/2022 às 10h00.

Terra da garoa, São Paulo é também a terra da cerveja

A cidade São Paulo, que comemora 468 anos em 2022, caminha para ter o maior número de cervejarias do Brasil.

Compartilhe