1. Home
  2. /
  3. Mercado Cervejeiro
  4. /
  5. Cerveja e ciência evoluem juntas
Cerveja e ciência evoluem juntas
Em 20/01/2022 às 10h00.

Cerveja e ciência evoluem juntas

A cultura e o avanço da indústria da cerveja devem muito ao avanço da ciência.

Felipe Freitas
Por Felipe Freitas, cervejar.com
Engenheiro Químico e Sommelier de Cerveja

Há mais de mil anos ao lado do homem, a cerveja precede o próprio conhecimento científico do ser humano. Porém, é incrível perceber como a chegada da ciência explicou e permitiu o controle das muitas técnicas que utilizávamos na produção cervejeira. Além disso, foi a ciência que impulsionou a cultura da cerveja para outro patamar.

Técnicas de fermentação, refrigeração e a produção de vidro estão entre os grandes marcos tecnológicos que alavancaram a evolução da cerveja. Todos eles se concentram entre os séculos XIX e XX.

A primeira cerveja gelada pela ciência

Até o final do século XIX, a oportunidade de beber uma cerveja gelada, em dias mais quentes, era algo possível apenas para pessoas muito ricas. O simples ato de “beber uma gelada” dependia de fontes naturais de gelo, de pessoas para carregá-lo e de locais de armazenagem.

Em 1856, foi criado o primeiro equipamento de refrigeração. Ele era utilizado para gelar cerveja para uma cervejaria. Iniciava-se, ali, um controle de etapas de produção da bebida, que dependem de refrigeração. Com isso, as pessoas passaram a poder beber cerveja para se refrescar.

O conhecimento sobre fermentação

Até a metade do século XIX, a cerveja era produzida já com um alto grau de sofisticação, mas sem nenhum conhecimento científico. Isso começou a mudar em 1860, quando o francês Louis Pasteur iniciou a publicação de estudos sobre fermentação.

Uma das principais publicações de Pasteur foi “Etudes sur la Biere” ou “Estudos sobre a cerveja”, em português. Neste livro, o cientista descreveu como as chamadas “doenças da cerveja”, que levavam algumas produções a obter uma bebida de gosto desagradável, se davam por conta de contaminações por bactérias, fungos filamentosos e outras leveduras.

Graças ao trabalho de Pasteur, a capacidade de controle de qualidade da cerveja atingiu níveis nunca antes experimentados.

A indústria do vidro

Embora a arte de produção de vidro tenha iniciado antes mesmo de Cristo, no norte da África, a produção do vidro transparente, que permite a fabricação de copos, só foi possível no início do século XX, com os avanços tecnológicos.

Até então, era comum beber cerveja em canecas de barro, de cerâmica ou de metal. A partir da utilização de copos de vidro, a cor da cerveja passou a ser muito mais valorizada, bem como a sua transparência, o que impulsionou as cervejas Lagers filtradas de tom dourado.

Além disso, a própria arte de produção de copos passou a receber muita atenção, com a criação de diferentes estilos, que até hoje fazem parte da cultura cervejeira.

Mercado Cervejeiro
22/09/2022 às 10h58.

Oktoberfest: Conheça as 5 maiores do mundo

Você sabia que a festa de Munique não é a maior do mundo? Saiba quais são as cinco maiores Oktoberfests e suas curiosidades.

Compartilhe
Mercado Cervejeiro
19/09/2022 às 15h14.

De 2013 até os dias atuais. A expansão do Mondial no Brasil

Gabriel Pulcino, gerente de negócios do Mondial de la Bière conta um pouco sobre as histórias por trás de um dos maiores festivais de cervejas do mundo.

Compartilhe