1. Home
  2. /
  3. Mercado Cervejeiro
  4. /
  5. A água faz diferença na cerveja, mas não como você imagina
A água faz diferença na cerveja, mas não como você imagina
Em 02/05/2022 às 10h00.

A água faz diferença na cerveja, mas não como você imagina

A história da cerveja está recheada de situações em que a água mostrou importância, e não apenas como base para a bebida.

Luis Celso Jr.
Por Luis Celso Jr., cervejar.com
Jornalista e Sommelier de cerveja

Uma das perguntas que mais escuto como professor de cerveja é: a água de determinada região faz alguma diferença na cerveja? A resposta é sempre não. Hoje, temos uma tecnologia de tratamento de água tão avançada e barata que conseguimos igualar as propriedades dela em qualquer lugar do mundo.

Mas, veja, isso não é a mesma coisa que falar que a água não faz diferença na cerveja. Ela faz e sempre fez. A história da bebida está recheada de situações em que a água mostrou importância, e não apenas como a base da cerveja. Calma, eu explico.

A água foi uma das responsáveis pela descoberta da cerveja, aproximadamente, treze mil anos atrás. Não se sabe exatamente como aconteceu, mas é provável que cereais tenham sido molhados com água, germinaram e secaram em seguida.

Isso equivale, de forma ainda rústica, ao processo de malteação, essencial para que a cerveja aconteça. Logo após, foram molhados novamente, causando uma fermentação espontânea com microrganismos presentes no ambiente.

Mas, nesse primeiro momento, provavelmente, a cerveja tinha apenas um uso ritual. Ela se torna parte da nossa base alimentar quando o homem deixa de viver de forma nômade, para se fixar em um lugar, desenvolvendo a agricultura e domesticando os animais. Isso acontece entre 10 mil a.C. e 3 mil a.C., de forma gradual.

Para tanto, eram necessárias terras férteis que foram encontradas principalmente ao redor de rios, como o Tigres e o Eufrates, dando origem à Mesopotâmia, no Oriente Médio, e ao Nilo, no Egito. Olha a água aí!

Mas, não precisamos ir tão longe. Alguns estilos de cerveja só foram criados por conta da água de determinadas regiões do mundo.

Pilsen e India Pale Ale

A cerveja Pilsen foi criada em 1842, em Plzen, na República Checa. O objetivo era produzir uma cerveja claríssima. Seus inventores descobriram que, para isso, era preciso uma água pouco mineral – mole ou branda, no jargão cervejeiro.

O solo dessa região é composto, em grande parte, por arenito, que serve como um filtro natural para a água, retendo os minerais. E foi isso o que tornou possível a primeira cerveja dourada do mundo.

Se você é fã de cervejas artesanais, já ouviu falar do estilo India Pale Ale. Ele nasceu na Inglaterra, principalmente para exportação para a Índia, então colônia britânica, entre o final do século XVIII e começo do XIX.

Acontece que este estilo só ganhou seu formato final – uma cerveja seca, de amargor pronunciado – quando começou a ser feito na cidade de Burton-on-Trent, 130 quilômetros a noroeste de Londres, na Inglaterra. A água muito mineral da região é importante para esse efeito no paladar e para cervejas mais escuras.

Ainda hoje, temos como base algumas dessas referências de águas regionais para fazer receitas de cervejas desses estilos. Portanto, sim, a água faz diferença dentro e fora do copo. Mais de 90% da cerveja é água. O fato de a região não ser mais decisiva é porque conseguimos alterar as propriedades minerais da água dentro das fábricas.

Ou seja, não precisamos mais estar em Plzen, para fazer cerveja Pilsen. Tratamos a água antes, e fazemos a receita com ela.

Curtiu? Compartilhe com os amigos!

Mercado Cervejeiro
22/09/2022 às 10h58.

Oktoberfest: Conheça as 5 maiores do mundo

Você sabia que a festa de Munique não é a maior do mundo? Saiba quais são as cinco maiores Oktoberfests e suas curiosidades.

Compartilhe
Mercado Cervejeiro
19/09/2022 às 15h14.

De 2013 até os dias atuais. A expansão do Mondial no Brasil

Gabriel Pulcino, gerente de negócios do Mondial de la Bière conta um pouco sobre as histórias por trás de um dos maiores festivais de cervejas do mundo.

Compartilhe