1. Home
  2. /
  3. Degustação
  4. /
  5. 3 cervejas para comemorar o Dia da Cerveja Alemã
3 cervejas para comemorar o Dia da Cerveja Alemã
Em 20/04/2022 às 10h31.

3 cervejas para comemorar o Dia da Cerveja Alemã

Em 23 de abril, comemora-se o aniversário da Lei da Pureza da cerveja alemã. A data é celebrada na Alemanha e em diversos países com descendentes germânicos, como o Brasil.

Luis Celso Jr.
Por Luis Celso Jr., cervejar.com
Jornalista e Sommelier de cerveja

A Lei da Pureza da cerveja alemã é bastante famosa. Você já deve ter ouvido falar. Está presente até em alguns rótulos de cerveja, quase como um certificado de qualidade. Promulgada pelo duque Guilherme IV da Baviera, no dia 23 de abril de 1516, ela completa 506 anos, em 2022. É mais de meio século!

A data também é conhecida como o Dia da Cerveja Alemã, muito comemorada na Alemanha e em diversos países com descentes germânicos, como o Brasil. Um momento para celebrar a tradição cervejeira.

A Reinheitsgebot, ou Lei da Pureza, foi decretada para evitar que fossem usados ingredientes nocivos para a saúde. Na época, era muito comum inserir diversas ervas, condimentos e frutas na cerveja. Nem sempre próprios para o consumo.

Além de tópicos relacionados a preços e impostos, a Lei da Pureza estabeleceu que, a partir daquele momento, só poderiam entrar na bebida, malte de cevada, lúpulo e água. Por isso, é considerada uma das leis de segurança alimentar mais antigas, bem como lei de direitos do consumidor. Mais do que um conjunto de regras, a lei é vista também como parte da identidade cultural alemã.

Então, que tal brindarmos à cerveja alemã? A seguir, separei três cervejas para comemorar a data.

1 – Eisenbahn Weizenbier (4,8% – 355 ml)

No sul da Alemanha, na região de Munique, as cervejas de trigo são muito populares. Ela utiliza, pelo menos, 50% de malte de trigo e traz aromas e sabores frutados e condimentados, normalmente, descritos como banana e cravo. Por ter baixo amargor, até algum dulçor, é uma das principais portas de entrada no universo da cerveja artesanal. Experimente a Eisenbahn Weizenbier.

2 – Paulaner Salvator (7,9% – 330 ml ou 500 ml)

A primeira Doppelbock do mundo foi a Paulaner Salvator. Era a receita de uma cerveja de quaresma dos monges do mosteiro dos Paulinos, de Munique. Nesse período, se fazia jejum do nascer ao pôr do sol, e uma cerveja mais nutritiva, principalmente, em proteínas, era essencial. Mais alcoólica e encorpada do que a Bock tradicional, dá destaque para os sabores tostados, acastanhados e um tanto frutados, lembrando frutas secas.

3 – Karlsbräu Urpils (4,8% – 500 ml)

A Pilsen nasceu na cidade de Plzen na República Checa, em 1842, e foi a primeira cerveja dourada, clarinha. Os alemães também fizeram sua versão logo após, em 1870, chamada German Pils. Seu aroma e sabor principal vêm dos lúpulos da região, de características florais. O toque do malte é suave, lembrando miolo de pão. Na boca, apresenta amargor destacado, com corpo leve e final seco. A Karlsbräu Urpils é um ótimo exemplar desse estilo.

Mercado Cervejeiro
30/01/2023 às 11h30.

Michael Jackson da cerveja: Conheça o escritor que inspirou gerações de cervejeiros

Você sabia que o universo cervejeiro tem o seu Michael Jackson? Conheça a história do Beer Hunter, o jornalista que viajou o mundo em busca de uma cerveja excepcional.

Compartilhe
Mercado Cervejeiro
26/01/2023 às 11h30.

Pertinho de São Paulo: 5 lugares para beber cerveja artesanal em Campinas

A pouco mais de 80 quilômetros de São Paulo, Campinas é recheada de opções para curtir uma boa cerveja artesanal; conheça cinco lugares para beber na cidade.

Compartilhe