Home » Comportamento » Os 10 erros que todo mestre cervejeiro iniciante deve evitar

Os 10 erros que todo mestre cervejeiro iniciante deve evitar

Cerveja caseira - Foto Seymour Johnson Air Force Base
Fazer cerveja é uma arte que une talento, imaginação e criatividade. Mas é também uma ciência que exige precisão, disciplina e muita atenção. Nosso foco aqui é abordar os aspectos científicos da produção de cerveja em casa.

Aprenda com os erros cometidos por outros cervejeiros caseiros antes de você. Assim, aumentam as chances de se deliciar e impressionar seus amigos com uma bebida de primeira linha feita por você mesmo.

1. Equipamento sujo
O primeiro passo para uma cerveja espetacular é a limpeza do equipamento. Além da sujeira, uma faxina bem-feita elimina gorduras, proteínas e outras substâncias que podem arruinar o sabor, acabamento ou a fermentação da sua receita.

2. Falta de sanidade
Os micróbios estão louquinhos para estragar a sua cerveja. Eles aproveitam qualquer oportunidade para comprometer o resultado durante várias partes do processo de produção. Tudo deve estar desinfetado como se fosse uma sala de cirurgia, a começar pelas suas mãos. Mantenha sempre por perto garrafas de álcool 70 ou outros desinfetantes que não deixem nenhum microbiozinho no caminho entre você e a sua cerveja especial

3. Água de baixa qualidade
Água - Foto Pixabay
A água que sai da sua torneira pode ser muito boa para lavar louça e regar plantas. Jamais utilize-a para fabricar cerveja. Sem ser filtrada e com alguma carga de cloro ou flúor, ela pode acrescentar sabores metálicos ou de plástico à sua receita. Além disso, pode não ter o equilíbrio de minerais ou pH exigidos pela sua cerveja. A boa notícia é que dá para chegar a esse equilíbrio com alguns componentes químicos fáceis de encontrar. Ou seja, aquela história de que tal cerveja é melhor porque é feita com a água do rio tal é balela. Você pode obter a mesma água na sua cozinha.

Newslleter

4. Displicência nas medidas
Para chegar ao resultado perfeito em termos de carbonatação, cor, espuma, sabor e aromas, cada grama conta. Sempre meça todos os ingredientes secos em peso, nunca em volume. Vá atrás de uma balança de alta qualidade para máxima precisão. Isso reduz muito o risco de resultados imprevisíveis no barril.

5. Moagem fora do ponto
grãos para cerveja - Foto Pixabay
O ideal é que seu moedor esteja regulado para não deixar muito pó e poucas cascas inteiras (moagem fina), nem com grãos que escapam ilesos do processo (moagem grossa). Quando muito fina, a moagem amplia a extração de taninos e dá um sabor adstringente à bebida. Moagem grossa demais compromete a quantidade produzida e a densidade inicial (OG) da cerveja.

6. Validade prestes a vencer
Lúpulo - Foto Pixabay
A cerveja é feita de compostos orgânicos, e todos os ingredientes, incluindo os grãos e as variedades de lúpulo, tendem a estragar ou perder o vigor com o tempo, principalmente depois de abertos. Assim, quanto mais frescos forem os ingredientes usados na sua receita, melhor.

7. Extrato queimado
O extrato de malte tende a se depositar no fundo da panela, onde corre o risco de ele queimar. Para evitar isso, retire a panela do fogo antes de adicionar qualquer extrato. Ao adicioná-lo, mexa constantemente até que esteja completamente dissolvido.

8. Desmazelo na fervura
O maior erro em uma brassagem é a falta de controle da temperatura. E, de novo, é melhor contar com um termômetro próprio para a fabricação de cerveja, e não aqueles culinários ou de espeto, que só medem as coisas na superfície. Para uma medição confiável, desligue a chama e agite a panela com sua pá para homogeneizar a temperatura do mosto. Só então coloque o termômetro para trabalhar.

9. Resfriamento demorado
Um resfriamento que dure mais de uma hora coloca em risco o resultado final da sua receita, com risco de contaminação e outros problemas. O resfriamento deve ter início logo após o desligamento do fogão. Então, não deixe para ajeitar mangueiras, conexões e braçadeiras para a última hora. Esteja com tudo pronto tão logo a chama seja apagada. E seja rápido para que a sua receita chegue a uma temperatura entre 8ºC e 14ºC (no caso das lagers), ou 18ºC e 24ºC (ales).

10. Descuido com o oxigênio
Antes da fermentação, o ar é uma bênção. Mas, se o oxigênio se infiltrar durante o processo, a oxidação pode gerar compostos indesejáveis que destroem o sabor. Você pode reduzir as chances isso acontecer seguindo os passos abaixo:

  • Mexa suavemente o mosto ainda quente
  • Após o resfriamento, faça uma areação do material para facilitar o trabalho das leveduras durante a fermentação
  • Use um airlock para evitar a entrada de oxigênio no balde
  • Transfira suavemente cerveja do fermentador para o maturador ou para o balde
  • Tenha o mesmo cuidado no envase, pois a agitação aumenta a oxigenação
  • Se for necessário, acrescente somente água fervida e resfriada na cerveja depois da fermentação primária
  • Armazene a cerveja a uma temperatura por volta dos 10ºC ou 12ºC
  • Ao engarrafar, não deixe um espaço maior do que 4 centímetros entre o líquido e a tampa
  • Evite tampas em rosca, como a das long necks, pois elas nem sempre vedam perfeitamente a garrafa
  • Se você usa barril, lembre-se de enchê-lo com CO2 (para expulsar o oxigênio) antes de transferir a cerveja para ele

Sobre por Redação

Você vai gostar de ver

Doe sangue e ganhe cerveja artesanal

Cervejaria curitibana Beermad quer incentivar a prática da doação de sangue   Tem gente que …

X