Home » Conhecimento Cervejeiro » 10 coisas que talvez você não saiba sobre a escola britânica de cervejaria

10 coisas que talvez você não saiba sobre a escola britânica de cervejaria

bar pub britânico - Foto PixabayGraças aos britânicos, enchemos nossos copos de IPAs, stouts, porters etc. Cerveja por lá é assunto tão sério que até o sucessor do trono produz a sua própria bebida. Confira esta e outras nove curiosidades sobre a cerveja no Reino Unido.

  1. Sem clima em casa

Garrafas e tampas cerveja - Foto PixabayAté 1963, era ilegal fabricar cerveja em casa no Reino Unido sem uma licença. Em abril daquele ano, o secretário do Tesouro Reginald Maudling mudou isso, abrindo as comportas. Resultado: o boom de cervejeiros caseiros fez a empresa Boots the Chemist virar uma gigante de equipamentos para fabricação de cerveja.

 

  1. Escuridão na Irlanda

cerveja Guinness - Foto PixabayPrecursora da stout, a cerveja porter foi o alicerce sobre o qual a indústria cervejeira britânica foi construída no século 18. Quando começou a ser produzida, em 1759, a cerveja irlandesa Guinness era chamada de porter. Depois, ficou conhecida como stout porter. No final do século 18, a popularidade dela era tamanha que a fábrica tirou de linha os outros tipos de cerveja que fabricava.

 

Newslleter

  1. Amargor americano

lúpulo - Foto PixabayAté a década de 1980, o lúpulo americano era usado apenas como substituto de variedades britânicas consideradas mais sofisticadas e delicadas. Além de entregar amargor por um custo menor, o lúpulo americano era visto pelos britânicos como um gerador de “cheiro de xixi de gato”. Logo os súditos da rainha viram que, se usada corretamente, a variedade americana cascade libera um poderoso aroma cítrico.

 

  1. Barba e bigode

Estima-se que, no Reino Unido, 93 mil litros de cerveja se perdem todos os anos, retidos nos pelos faciais dos consumidores.

 

  1. Coisa de macho supersticioso

Bruxa - Foto PixabayNos séculos 16 e 17, as mulheres foram expulsas da produção de cerveja no Reino Unido. Isso porque, na visão dos preconceituosos e supersticiosos da época, elas eram associadas à bruxaria.

 

  1.  Ato divino
    Em 1814, em Londres, o rompimento nos tanques de uma cervejaria despejou mais de 1 milhão de litros de cerveja, inundando as ruas ao redor da Tottenham Court Road depois. Pelo menos oito pessoas morreram afogadas. Ninguém foi processado, pois um juiz determinou que a inundação de cerveja era um ato de Deus.

    1. Quantidade e qualidade

    bar pub britânico - Foto PixabayExistem mais de 4.000 marcas de cerveja disponíveis no Reino Unido e cerca de 49.500 pubs.

     

    1. No centro do poder

    Placa Downing Street - Foto PixabayO edifício mais antigo conhecido na Downing Street (rua em que vive o primeiro-ministro britânico) era uma cervejaria.

     

    1. Bebida real

    O príncipe Charles produz a sua própria cerveja. Orgânica, a Duchy vem em duas versões, disponíveis apenas no Reino Unido: a Organic Ale tem 5% de teor alcoólico e lidera as vendas; a Select Ale leva centeio e aveia na receita, apresenta teor alvoólico de 6,2% e foi premiada pela revista “Beers of the Word”.

     

    1. Verdade ou lenda?

    Você já deve ter ouvido por aí que as IPAs foram criadas para abastecer as tropas britânicas na Índia no século 18. Altamente alcoólicas e lupuladas, elas teriam mais chance de sobreviver à longa viagem. Historiadores discordam dessa tese mostrando evidências de que, no começo do século 18, o Reino Unido já exportava cerveja para a própria Índia e países ainda mais distantes. Assim, muito antes de se preocupar com as tropas, os cervejeiros britânicos estavam empenhados em produzir uma cerveja que se adaptasse melhor e chegasse inteira a países tropicais.

Sobre por Redação

Você vai gostar de ver

Cervejaria estampa fotos de cães abandonados em suas latas

Para incentivar a adoção de animais, a americana Fargo Brewing Company, no Estado de Dakota …

X